blog
Blog MAS AFINAL, QUANTO COBRAR PELO MEU JOB?
MAS AFINAL, QUANTO COBRAR PELO MEU JOB?
26/07/2019

Essa é uma das questões que mais atormenta os freelancers de plantão. Diante de todas as dúvidas e incertezas dessa profissão, precificar um serviço pode ser uma tarefa bastante complicada se você ainda não tem uma boa vivência no assunto.

Mas para clarear suas ideias, nós separamos algumas perguntas que devem ser respondidas na hora de determinar o preço do seu job. Quer saber quais são elas? Acompanhe abaixo!

Quanto eu quero ganhar no fim do mês?
A nossa dica aqui é: pense em um valor que esteja coerente com a realidade da sua área e experiência.

Mesmo que o freela não seja sua principal fonte de renda, é importante que você cobre como se fosse. Pois o seu tempo fora do seu emprego formal vale muito!

Quais serão os meus gastos?
Não é só porque um freelancer trabalha em home office, por exemplo, que ele não terá contas para bancar.

Custos como: aluguel, contas da casa, alimentação, deslocamento para reuniões, materiais de trabalho, cursos profissionalizantes, devem ser colocados na ponta do lápis. Além disso, um profissional autônomo não possui benefícios trabalhistas, então, é muito importante incluir também as férias e o 13º.

Quanto em média o mercado cobra?
Para quem está começando, uma boa saída é calcular o valor da hora que você ganha/ganhava em seu último emprego. Também é muito válido conversar com amigos freelancers que tenham experiência na sua área.

E então, quanto cobrar pelo meu freela?
Agora que você já tem uma noção do que precisa ser levado em consideração antes de precificar o seu trabalho, chegou a hora de identificar o valor da sua hora.

Se após analisar todos os pontos acima, você gostaria que seu salário fosse R$ 4.800 por mês, trabalhando em média 40 horas semanais, o seu valor por hora será R$ 30.

DICAS BÔNUS:
Crie uma tabela fixa de valores:
Faça uma planilha no Excel ou até mesmo no Word, com todos os valores que você costuma cobrar em cada tarefa. Para um designer, por exemplo: preço de um layout para post, banner para site, arte para cartão de visitas e assim vai.

Claro que cada demanda terá suas complexidades e existirão casos que essa tabela não se aplicará para algum job. Também é importante atualizar os valores para que eles estejam de acordo com a inflação e mudanças no mercado.

Invista na fidelização dos seus clientes:
Pensando na instabilidade da vida de freelancer, uma boa solução é oferecer pacotes com descontos para garantir várias rendas no mês ao invés de somente um projeto fechado por valor integral.

E aí, deu para clarear suas ideias em relação ao assunto? Você vai ver como a prática vai levando a perfeição e a cada novo cliente, você estará cada vez mais craque na arte de calcular o valor do seu job. E para quem precisa daquele pontapé inicial para ingressar na vida sem CLT ou garantir uma renda extra no fim do mês, nós falamos aqui sobre 6 plataformas que podem te ajudar nessa.

Erica Spengler Dietrich

Publicitária, redatora e coworker do Ace.

VENHA CONHECER O ACE!

+55 (41) 3019-0500

contato@acecoworking.com.br

Nosso Coworking fica na:
Rua Almirante Tamandaré, 500
Alto da Rua XV - CEP: 80045-110